Um Tiro no Pé

Publicada em 13.11.2018


  “UM TIRO NO PÉ... A aventura jurídica na qual grupos ativistas autocaracterizados como de “esquerda radical”, apoiando de forma incondicional a atitude irresponsável da família Lemos, certamente causará, a partir de 1º de janeiro de 2019, um grande retrocesso aos direitos absolutamente  justos conquistados com muita luta pelos verdadeiros remanescentes das comunidades quilombolas de que trata o art. 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Essa família, utilizando-se do art. 2º do Decreto nº 4.887/03, ridiculamente, busca atribuir a si a condição de comunidade quilombola, como manobra nitidamente maquiavélica, na tentativa de se apropriar definitivamente de patrimônio (por ela invadida no ano de 2008 e já com decisão judicial de reintegração de posse transitada em julgado) do Asilo Padre Cacique, que deveria ser hoje dedicado  única e exclusivamente ao  abrigo e bem-estar  dos 100 idosos carentes que lá habitam.”. Edson Brozoza, presidente do Asilo Padre Cacique de Porto Alegre.